quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Títulos - um filme, um livro, uma música

Acordei hoje pelas 5:00 com a trovoada e a chuva a bater nas persianas lá fora. Fantástico acordar desta forma, sem despertador, com o suave ruido de tempestade, no calor da noite. Não voltei a dormir e a deambulação de pensamentos levou-me a pensar em títulos de que tenha gostado. Não obras, mas títulos. Títulos de que goste por si só, desligados da obra à qual conferem o nome (é como discutir nomes de pessoas - não os aplicamos a ninguém em especial enquanto manifestamos a simpatia por este ou aquele nome. Gostamos porque consideramos bonito e não por gostarmos de determinada pessoa com esse nome)
Assim, há títulos que valem por si só. Capas de livros ou posters de cinema cujo nome capta mais a atenção do que a qualidade que (por vezes) a obra (não) revela. Por vezes, a obra não defrauda o seu nome. Outras, esgota-se nele. Cheguei a três:
Uma Noite Aconteceu foi o primeiro filme a vencer os 5 principais óscares (filme, realização, argumento, actor e actriz) em 1934. Até hoje, apenas mais dois filmes conseguiram tal feito (Voando Sobre um Ninho de Cucos, em 1975 e O Silêncio dos Inocentes, em 1991).
O filme vale pouco. Comédia romântica (mais comédia do que romântica) de Frank Capra, seria o seu primeiro reconhecimento. Mas o título é mágico. Merecia melhor filme.
Na filmografia de Capra, eleva-se uma obra maior que por pouco teria sido para sempre perdida: Do Céu Caiu uma Estrela (It's a Wonderful Life). Este sim, um filme com lugar cativo no top 10, e que poderia muito bem chamar-se Uma Noite Aconteceu.
É um título que deixa algo em aberto. Tem magia. É íntimo. E permite-nos usá-lo para nosso belo proveito se assim o entendermos - uma noite aconteceu(-nos) - ou simplesmente sonharmos - uma noite (imaginária) aconteceu.
Após tanto palavriado... simplesmente... Uma Noite Aconteceu
Comprei uma vez um livro pelo título.
Chama-se A Insustentável Leveza do Ser. Se o anterior abria caminho ao sonho, este é enigmático. A nossa insustentavelmente leve condição humana é o mote para uma visão histórica do espaço e do tempo a que pertencemos que Kundera possui e descreve com superior elegância.
Teresa, Tomás e Sabina constituem um triângulo amoroso (mais tarde junta-se Franz - porque não se diz um quadrado amoroso?) e tornaram-se personagens míticas, representantes de uma geração que talvez nunca tenha existido completamente, mas da qual identificamos fragmentos no modo como nos situamos na História.
Título e obra disputam a distinção. Nenhum deixa o outro mal visto.
Para além do título, talvez a frase da contracapa tenha contribuido para a minha compra (há uns 10 anos): "Um livro extraordinário e seguramente um dos romances míticos do século XX, uma daquelas obras raras que alteram o modo como toda uma geração observa o mundo que a rodeia".
A Insustentável Leveza do Ser não poderia ter outro título.
Os Beatles dificilmente serão igualados.
A quantidade e qualidade da música que produziram em cerca de 8/9 anos é inigualável.
O que representaram na revolução cultural dos anos 60, a Pop Art, o fenómeno de massas ou a evolução da composição musical (do aparentemente simlpes para o psicadélico de uma beleza ainda maior) são marcas da sua importância.
Gosto de muitas músicas dos Beatles... dezenas. Títulos, lembrei-me de dois, mas elegi um. Lembrei-me de A Day in Life (considerado pela revista Rolling Stone como a melhor canção dos Beatles). Pertence ao álbum Sargent Pepper's Lonely Hearts Club Band. Gosto da simplicidade com que se faz uma música cuja letra conta a banalidade das ocorrências de "Um Dia na Vida". Esta música faz parte da fase musical mais evoluída dos Bealtes (ou mais "psicadélia").
No entanto, escolhi o título de uma outra canção que era para estar presente no mesmo álbum, mas acabou por não ser incluída: Strawberry Fields Forever.
Embora romântico, não o é no sentido tradicional. Não se chama Love Forever ou Live Forever. Chama-se "Campo de Morangos para Sempre" (por vezes a tradução consegue tirar toda a magia a uma expressão)
Creio que Strawberry Field era um orfanato ou uma casa de acolhimento onde John Lennon brincava quando era pequeno. Protelar para sempre um local da infância onde fomos felizes... Strawberry, Fields e Forever são três palavras que ligam bem. Porque o Forever aplicado ao passado pode acontecer, enquando perdurar na memória. Strawberry Fields é uma conjugação bonita, especialmente se for Forever.

Sem comentários:

Os Taxistas do Zêzere

O sol é diferente a cada manhã quando se cruza no caminho que diariamente percorro para o trabalho ao longo da marginal. E mesmo nos dias e...