sexta-feira, 1 de março de 2013

Atrasos, supressões e greves


Se há coisa sobre a qual tenho aqui escrito (para além de Cinema), é sobre a CP (mais concretamente sobre os maquinistas).
Umas vezes num tom mais incendiado, outras mais calmo (penso que esta versão mais calma nunca passei para o “papel”), não me tenho cansado de criticar dois aspectos que considero uma vergonha:

1. As greves dos maquinistas, uma vergonha para o país (tudo somado, desde 1999 a CP deve-me cerca de 6 meses de viagens);
2. O aumento brutal no preço dos passes (cerca de 30% em ano e meio) que, a continuar, me leva a pensar se não compensará passar a ir de carro para Lisboa (neste momento a diferença são cerca de 35€/mês - com o preço da gasolina a 1,70 €/litro - que, tendo em conta a liberdade de horário que eu ganharia, é uma situação a ponderar).

Havia no entanto um ponto muito positivo, diga-se em abono da verdade, e que também elogiei diversas vezes (não sei se o fiz aqui): a qualidade de serviço no que respeita a conforto, cumprimento de horários e periodicidade.
Este aspecto, nas últimas semanas tem-se vindo a transformar muito rapidamente numa lástima… um comportamento indecente por parte da CP, com sucessivos atrasos e supressões (em 10 dias apanhei 3 supressões e um atraso).
Não sei de quem é a culpa, mas este serviço, que eu considerava exemplar por parte da CP está a tornar-se péssimo. Acho uma vergonha pagar cerca de 70 €/mês (comboio + metro) e ter que ir sucessivamente de carro entre três a seis vezes por mês por greves da CP ou do metro, quando tenho o passe já comprado.
É uma enorme falta de respeito por aqueles que, como eu, optam pelo transporte público por questões financeiras mas também porque permite alguma comodidade, a qual está a ser desbaratada nestes últimos dois meses.

Ao longo destes 14 anos nunca faltei ao respeito a nenhum revisor, embora me apetecesse, nos dias depois de uma greve (e são tantos) simplesmente não mostrar o passe: nunca o fiz.
Não sei se chegará o dia em que não mostrarei o passe por capricho (até porque por duas vezes, os revisores, que não têm culpa nenhuma disto, me deixarem prosseguir viagem quando eu me havia esquecido de carregar o passe).
Mas a falta de respeito tem limites: ser roubado no preço, ser desrespeitado pelas greves e ainda ter um serviço péssimo é algo que deveria ter consequências.
Hoje fiquei por uma reclamação escrita à qual aguardo resposta (é melhor esperar sentado).

PS: para a semana entre Metro, CP e Refer há greves "agendadas" para os dias 5, 6 e 7!

Sem comentários:

A Feira

Descobri recentemente mais um motivo pelo qual gosto tanto de feiras. Não das feiras onde se negoceia roupa contrafeita e toda a espécie de...